domingo, 7 de março de 2010

Pretérito Imperfeito

A gente sempre acredita que vai ser feliz pra sempre né? Mas eu percebo no olhar da moça ao lado que isso é mentira. A moça não é feliz. Eu fico triste por ela. Ela era cheia de sonhos. E sonhava com seu feliz pra sempre. Mas não foi assim que se deu. Agora ela deve se perguntar: "Onde foi que eu errei tanto?"... Essa culpa católica que nos vem à cabeça de que a infelicidade nossa é nossa culpa. Ela chorou há poucos. Não lembrava de como era ruim esse choro de infelicidade. E agora eu fico apertando minha mente. Quando mirei seu olhar, revivi uma cena de cerca de dezoito anos atrás. E eu não fiquei feliz com isso. Me dei conta que preferia que ela fosse feliz. Ela faz questão de esconder de todo mundo, mas não sorri nunca. Ela deixou que os problemas e tristeza e a falta de amor e o mundo inteiro e suas sujeiras melassem a ideia de mundo legal que existia em seus sonhos. Ela acbou por destruir o mundo mágico da menina. Seus rosto é cansado e triste. Ela não ama mais o mundo como gostaria e desistiu de viver pra ser feliz. Agora ela espera que sua vida acabe por conta de não gostar de viver. Parece que toda a sua vida está pronta. Deixou-se abandonar na infelicidade e prefere ser assim na vida. Está tão seca quanto o jardim la fora. E das flores que embelezavam sua vida restou apenas as folhas no chão e os espinhos nos galhos. Nem haverá mais primavera em seu coração. Aconteceu que decidiu ficar assim. Até o dia que não for mais possível ser infeliz.

Um comentário:

Paulo disse...

Poxa, eu me senti a moça do texto.