segunda-feira, 15 de março de 2010

Da Noite Em Que Se Pensou No Fim De Tudo

- Eu gosto muito de você!

Silêncio.

- Você não vai dizer nada? Como você pode ser indiferente a esse sentimento?! Como pode ser indiferente a minha declaração!?

Silêncio... Uma lágrima escorre pelo rosto.
Entre soluços:

- E eu que achei que você era, no mínimo, receptivo. No mínimo, que gostava de se sentir amado. Que apreciava toda minha dedicação, que gostava dos meus bons tratos...

Interrompe com dois dedos nos lábios do falante.

- Eu te amo, seu bobo!

Beijo de fim de novela.

Um comentário:

Paulo disse...

Quem dera que fosse assim! rsrs Minha experiência mostra que acontece mais o contrário. Isto é, "Da noite que se pensava que seria eterno, mas aconteceu o fim". rsrs